Dicionário - Verbetes

ÍNDICE DE GINI

Autor: EDMILSON PEREIRA JÚNIOR

É uma medida utilizada para mensurar o grau de desigualdade entre os indivíduos do grupo a que pertencem, seja um município, região, estado, país, etc. Esse índice varia de 0 a 1, em que um é atribuído à situação de extrema desigualdade entre os indivíduos e zero para o cenário de perfeita igualdade entre as pessoas. 

Esse indicador foi desenvolvido no ano de 1912, pelo estatístico italiano Corrado Gini, publicado no documento intitulado “Variabilitá e mutabilitá”. A proposta era medir a desigualdade de renda dos indivíduos de uma região e cujo método foi posteriormente adaptado para ser utilizado na área da Educação (THOMAS; WANG; FAN, 2000), com o objetivo de mensurar a desigualdade educacional dos indivíduos. 

O Índice de Gini para Educação (GE) leva em consideração a acumulação de capital relacionado à educação, medido através dos anos de estudo, de acordo com o percentual acumulado da população analisada. O cenário de perfeita igualdade entre a população, em que todos os indivíduos possuem a mesma quantidade de anos de estudo, apresenta um GE igual a zero. Nessa situação, temos, por exemplo, em um país, que 10% da população detém 10% de todos os anos de estudo realizados por seus indivíduos, que 30% da população concentra 30% de todo o nível educacional da nação e que 80% da população concentra 80% de toda a educação.

A distribuição relativa de uma variável (anos de estudos) pode ser representada graficamente através da Curva de Lorenz, que é traçada considerando a percentagem de pessoas no eixo das abscissas e a percentagem acumulada da educação no eixo das ordenadas. Desenvolvida pelo economista americano Max O. Lorens, em 1905, também para abordar questões econômicas, foi adequada para tratar a questão da distribuição da “educação” entre os indivíduos.

A Curva de Lorenz mostra que no caso em que a renda se encontra distribuída de forma perfeitamente equitativa, a curva coincidiria com a linha de 45º que passa pela origem (por exemplo, 30% da população detém 30% da escolaridade do grupo). Se existisse desigualdade perfeita, em que uma pessoa detém toda a renda, a curva coincidiria com o eixo das abcissas (eixo horizontal). Em geral, a curva se encontra numa situação intermediária entre esses dois extremos. Em termos comparativos, a curva que mais se aproxima da linha de 45º é tida como a que exibe menor desigualdade e, por consequência, apresenta menor Índice de Gini. 

O índice de Gini para Educação pode ser calculado de duas formas distintas:

a) através da aplicação da fórmula adaptada por Thomas, Wang e Fan (2000), que é apropriada para lidar com as especificidades da distribuição da variável utilizada para medir o nível educacional, no caso, anos de estudo. Esse ajuste é necessário pelo fato de que a variável escolaridade é discreta e possui tanto um limite inferior (zero) e um limite superior (15 a 20 anos de escolaridade). A fórmula é descrita adiante:






Onde:
GE = Índice de Gini para Educação
µ = média de anos de escolaridade
pi e pj = proporção da população com certo nível de escolaridade
yi e yj = anos de escolaridade em diferentes ciclos de educação
n = número de níveis do ciclo educacional

b) pela Curva de Lorenz, é calculado através da razão das áreas no diagrama da Curva de Lorenz. Considerando que a área entre a linha de perfeita igualdade e a Curva de Lorenz é A, conforme mostrado no GRÁFICO 1, e a área abaixo da Curva de Lorenz é B, tem-se que o Índice de Gini para Educação é equivalente a:






O Índice de Gini para Educação pode ser calculado, no contexto brasileiro, através da utilização dos dados da Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios – PNAD, que aborda a quantidade de anos de estudo para os respondentes. Como exemplo, pode ser citado o estudo realizado por Bagolin e Porto-Júnior (2003), em que verificaram a desigualdade educacional, tanto para homens quanto para mulheres, em todos os estados brasileiros, no período de 1986 a 2001.

As tendências de desigualdade educacional, em um país ou região, podem ser analisadas através deste indicador (GE) e permite uma análise dentro de cada região e, também, de forma comparativa a outras. O Índice de Gini para Educação é um importante indicador que proporciona uma reflexão mais apurada acerca das características do capital humano da região analisada, permitindo investigar sua dispersão relativa.

BIBLIOGRAFIA:

BAGOLIN, I. P.; PORTO JÚNIOR, S. S.A desigualdade da distribuição da educação e o crescimento no Brasil: índice de Gini e anos de escolaridade.

A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | L
M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V

Dica de pesquisa: no use acentos!



Verbetes Relacionados



gestradoufmg@gmail.com
TEL.: +55   31   3409.6372
 


AV. ANTÔNIO CARLOS, 6627
BELO HORIZONTE - MG - BRASIL
CEP: 31270-901
HOME
QUEM SOMOS
APRESENTAÇÃO
PESQUISADORES
PARCEIROS
CONTATO
PESQUISAS
PUBLICAÇÕES
ARTIGOS
LIVROS
TESES E DISSERTAÇÕES
OUTRAS PUBLICAÇÕES
NOTÍCIAS
EVENTOS
DICIONÁRIO
APRESENTAÇÃO
VERBETES
SOBRE OS AUTORES
AGRADECIMENTO
DEDICATÓRIA